KRISTEN FALA COM A ROLLING STONE SOBRE A ESTREIA COMO DIRETORA

por Maria Mel


Para estarmos todos familiarizados com Kristen Stewart – ela teve um pequeno papel em alguns filmes de vampiros, talvez  tenha visto – é de saber que ela não fica particularmente confortável sob os holofotes. Ela é um alto-falante cinético, elíptica e, muitas vezes auto-depreciativa, então talvez não seja nenhuma surpresa que em 24 anos, ela já esteja a fazer o movimento para o outro lado da câmera.Como parte do seu contínuo check Blank Series, naa marca denim / estilo de vida Buffalo David Bitton ofere a Stewart uma quantidade modesta, mas não revelada, de dinheiro para “embarcar numa nova jornada criativa”, que a estrela de Crepúsculo usou para co-dirigir um videoclipe para a sua amiga Sage Galesi  the country-rock outfit Sage + the Saints.
“Eu já disse que quero dirigir filmes desde que os 10 anos”, diz Stewart, ao telefone de algum lugar em Nova Orleans, onde ela está atualmente a filmar a comédia de ação American Ultra. “E então eu comecei a fazer filmes e trabalhar com estas pessoas incríveis e eu percebi o que eu estava a enfrentar. Assim, de maneira nenhuma, agora eu vou ter mais atenção do que eu jamais deveria só por causa de quem eu sou. Basicamente , eu sou grata a Sage, porque ela era como, ‘Eu tenho essa coisa pequena, ninguém poderia contar a história melhor do que tu … simplesmente faz e deixa de ser  maricas. “ 

Então Stewart, junto com o co-diretor David Ethan Shapiro da Starlight Studios, o diretor de fotografia / editor James Gallagher, e alguns amigos em comum, fugiram para o Tennessee, durante cinco dias em fevereiro para gravar o vídeo de “Take Me to the South “, uma canção de   the Saints’ 2013 EP  I Will Lie . (Galesi acaba de lançar uma unidade Pledgemusic para ajudar a financiar um álbum completo.) As filmagensem volta da cidade adotada do compositor de LA  Nashville, Stewart e Co. filmado em estilo de documentário Galesi apresentou no Alto Watt, nos  cantos e centro da rua e conversando com os amigos na parte de trás de uma camionete. “Nós queríamos que fosse como um vislumbre da sua vida”, explica Stewart. “E isso é muito duro. Assim que que  começar a andar, todos se transformam nos faróis.” 
O vídeo de ” Take Me to the South ” estréia no final deste mês. Enquanto isso, Stewart, junto com Galesi e Shapiro, estava entusiasmada para discutir a sua estréia como diretora por teleconferência: “É muito mais agradável fazer entrevistas com não o que eu normalmente sou.” 

A sua co estrela de Crepúsculo costar Nikki Reed produziu um vídeo para uma musica chamada “Edie Sedgwick” dos dias de solo de Sage, certo? 
Foi assim que nos conhecemos, sim, foi no set de um filme em Vancouver, há sete anos, e, em seguida, nos tornamos boas amigas. 

O vídeo tem uma improvisada, sensação caseira. O que, se houver, que narrativa veio consigo? 
Sage viveu tudo isto;  não fabricou nada. Eu queria que o vídeo fosse realmente capturado e encontrado em vez de executado. A história é que ela é incrivelmente corajosa para seruma rapariga de LA que não sai com alguém que ouve a música country – e de repente ela percebe que ela quer ser uma estrela country , e dirige-se para Nashville sozinha para ver se ela pode conhecer pessoas e estar numa banda. Em seguida, ela fez tudo. Era tão fácil, uma vez que ela me presenteou com a idéia. Eu era como, bem, isso é o que o vídeo é.  Basicamente, eu não queria que ele ficasse … Quero dizer, ninguém quer  ser pretensioso, mas como, eu não queria que isso parecesse que queria ser muito bom. A música country não é boa. É verdadeira e é doce. 


Você é um fã de country ? 
Não. Isso é o que há de tão engraçado. Isso é algo que Sage e eu não partilhamos, e mais tudo na nossa amizade é. . . Nós temos muito em comum. Então eu fiquei tipo: O quê?  queres fazer uma música country? 

Fez alguma coisa para se preparar? 
Bem, eu sentei-me  e vi muitos vídeos country  antes de começarmos a fazer isto. Eu só realmente não vejo nada que não fosse tão difícil. Mas eu preciso especificar algo sobre o que eu disse: Eu não estava a falar de toda a música country . A música country  de Sage – ela não está a tentando ser boa. E a história foi tão claramente a nossa frente, eu não preciso procurar outro lugar para me inspirar. Além disso, em  Nashville e todos comem , respiram e dorme mmúsica country, [então] estar lá foi essa coisa transformadora.Todos os nossos amigos eram, tipo, “Hey baby, hey querida, como estás?” É um lugar realmente contagiante e super-acolhedor. 

Qual foi o principal desafio que  enfrentou como diretora  pela primeira vez? 
É uma pressão tão diferente do que eu estou acostumada a quando eu atuo. É esta estirpe muito consistente, que nunca acaba. Considerando que, com a atuação, há pequenas rajadas. . . Liberta-se pedaços de tensão para a câmera e, em seguida, sai e, eu não sei, esperar sair novamente. Mas não havia um segundo que eu não estava sentado com a minha cabeça nas minhas mãos. É da sua responsabilidade  manter essa coisa, e eu estava sempre preocupada que estava a faltar alguma coisa. Oportunidades perdidas são as mais angustiante, dolorosas, coisa repugnante. Como ator, o seu trabalho é se perder no momento. Perder-se é a última coisa que se quer fazer como diretor, por isso vai contra o meu instinto. Eu tinha que aproveitar a minha energia ao invés de deixá-la explodir em todo o set. 

Sage e David, como  descreveria a técnica de Kristen? 
Shapiro: Ela é muito apaixonada. Ela  ama algo ou ela odeia. 
Galesi: Ela foi natural. Ela foi boa sem  o excesso de dirigir, mas certificando-se de que certas batidas foram capturadas, e  dizendo em que momentos eles estava. Ser amigos  simplesmente se torna mais fácil, porque ela poderia dizer-me muito facilmente. 
Stewart: Eu senti-me  tão engraçada ao fazer Sage fazer as coisas mais de uma vez. Foi uma experiência estranha, porque eu queria nunca ter que fazer isso. Mas houve alguns momentos em que eu fiz ela fazer algo 10 vezes. Na maioria das vezes parecia que estávamos a fazer um documentário, mas isso é quando se fez como um filme. 

Como  que cena? 
Stewart: Nós tínhamos feito tantos da cena do seu olhar por cima do ombro e parecia planeado, como se ela o fizesse na hora. Mas, então, eu coloquei-a de pé nos bastidores de um show, olhando para esse tipo, e ela não tem necessariamente uma queda por esse tipo. . . 
Galesi: Vamos deixar bem claro que eu não tenho uma queda por esse tipo! 
Stewart: Sim, isso é uma coisa que inventamos. De qualquer forma, basicamente, ela está de pé lá a ver esse jogo, e só assim representa tudo o que faz Nashville tão diferente de qualquer coisa que cresceu  em Los Angeles – porque country é tão maldito e eu simplesmente amei apontar o uma câmera para ele. Eu a apanhei olhando para ele, e é muito elegante, então  está se esforçando para vê-lo mais, o que eu realmente amo, porque ela está  neste momento particular. E eu fiquei tipo: “. Hey, Sage, o que estas a fazer é tão óbvio” Ela é como, “O quê? Não!” Corta. Temos isso. 

Já trabalhou com uma impressionante lista de atores e diretores: David Fincher, Sean Penn, Jodie Foster. Existe alguém que  aprendeu muito que tentou canalizar aqui? 
Quero dizer, especificamente, não, mas absolutamente tudo o que eu fiz mudou o meu desejo. Parece ridículo nomear essas pessoas, mas [No diretor de On The Road] Walter Salles e [Into the Wild] Sean Penn funcionam da mesma maneira que eu gostaria de trabalhar. É sobre ser capaz de sempre, sempre, sempre farejar o disparate e se recusar a comer. Você honra o que trabalha tanto que para fazer uma paródia o que seria tão principalmente errado. Esse é o sentimento daqueles tipos. Eu  sinto-me tão segura com eles como atriz, porque eu sei que um fato que eu posso tentar coisas e totalmente deixar-me  ir e eles nunca me permitem fazer nada em falso. Eu definitivamente quero explorar esta avenida da minha vida, e essa é a maneira que eu iria esforçar-me para fazê-lo. 

Tem planos de dirigir quaisquer projetos futuros? 
Tenho vindo a trabalhar uma quantidade insana recentemente. Eu definitivamente preciso de fazer uma pausa e reorientar a minha mente, porque se eu vou colocar esse tempo,precisa ser algo que eu vá morrer. Há um par de curtos que eu escrevi que eu quero fazer realmente. Eu provavelmente vou seguir em frente e foda-se. Normalmente está autorizado a fazer coisas e ver o que pega. Não há as pessoas a olhae e, “K-Stew está a fazer um filme!” É embaraçoso. Eu tenho que descobrir o que eu quero trabalhar.Este vídeo é de nós quatro – eu, Sage, David e James – colaborando, e isso não é comigo não querendo dizer que eu dirigi algo. É gente, por falta de uma palavra melhor, “vibrando”. Um diretor é apenas tão bom quanto as pessoas com quem trabalham. Eu tenho que descobrir quem são os meus meninos! 

fontes:   Rolling Stone VIA:   kstewartfans

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: